Pesquisar neste blog

quinta-feira, 17 de julho de 2014

O mito do espinafre

 

 
Há certas coisas que deviam ser ensinadas para as crianças ainda no jardim de infância; uma delas é sobre a alimentação saudável. Da mesma forma deveria haver em supermercados e mercadinhos indicações que orientassem as pessoas na alimentação. Um exemplo é o espinafre, um alimento que se tornou popular devido ao desenho infantil Popeye e criou o mito de comer espinafre para ficar forte.
 
Realmente o espinafre é uma fonte de vitaminas A e B2, cálcio, fósforo, magnésio, potássio, sódio, ferro, contém luteina e é rico em betacaroteno, sendo especialmente indicado para pessoas com amenia, desnutrição e para as crianças que estão em fase de crescimento. Uma xícara de espinafre fornece toda a quantidade diária de vitamina A que uma pessoa precisa e quase metade da quantidade diária de vitamina C recomendada pelos médicos.
 
 
Sendo uma fonte de vitaminas e sais minerais, o consumo do espinafre:
  • ajuda na construção muscular
  • fortalece as gengivas e a formação dos ossos e dentes
  • ajuda na manutenção da visão
  • previne o câncer, devido à sua excelente potência antioxidante
  • combate fadiga, a pressão alta, artrites, escorbuto
  • atua na coagulação sanguínea
  • suas fibras ajudam a reduzir o colesterol 
  • é benéfico para quem tem diabetes, doenças cardíacas e osteoporose.
  • atenua diarréias e os problemas gastrointestinais.
  • por possuir ácido fólico, é recomendado para as mulheres grávidas para prevenir problemas neurológicos no feto. 

Há diversas formas de consumir o espinafre:
  • Pode ser consumido em saladas, tortas, panquecas, sopas, suflês e patês, porém a água usada para cozinhá-lo deve ser descartada.
  • Deve-se ingeri-lo numa mesma refeição junto com carnes ou alimentos ricos em vitamina C, como abacaxi, laranja, limão, pimentão, repolho, tomate. O ácido fólico contido no espinafre pode impedir a absorção de ferro.
  • O espinafre pode ser juntado com outros ingredientes para preparar o suco, tal como maçã, pepino ou beterraba. No entanto, não se deve juntar o espinafre cru com leite ou outros alimentos ricos em cálcio que pode ter efeito tóxico. Em 1951, inúmeras crianças recém-nascidas morreram ao tomar leite batido com espinafre cru, cujo objetivo era enriquecer a bebida com ferro.

Precauções: Embora seja saudável, deve-se ter precauções no seu consumo. O espinafre deve ser consumido em pequenas quantidades e apenas uma vez na semana, pois consumir espinafre todos os dias desmineraliza os ossos e dentes, além de que é altamente tóxico devido ao ácido oxálico.
 
O ácido oxálico está presente em diversos alimentos, principalmente nas folhas dos vegetais, tais como a acelga, o espinafre, nas folhas da beterraba, no amendoim, no cacau e consequentemente no chocolate. Desses, o que contém altos teores de ácido oxálico é o ruibarbo que já causou a morte de pessoas que se alimentaram de suas folhas durante a Primeira Guerra Mundial.
 
Geralmente consumimos 150 mg de ácido oxálico por dia através de diversos alimentos. O constante consumo de chá-preto e chá-mate pode aumentar essa quantidade, além de que o excesso de vitamina C em nosso corpo também é convertido em ácido oxálico.
 
 
Ácido Oxálico: O ácido oxálico é realmente uma substância química tóxica que pode matar, sendo sua dose letal de 1500 mg. No entanto, seu teor na maioria das plantas comestíveis é muito baixo para apresentar um risco sério. Por exemplo, cada 100 gramas de cacau possui 500 mg de ácido oxálico. É praticamente impossível que uma pessoa coma tanto chocolate a ponto de se envenenar, pois ela se saciará muito antes disso acontecer.
 
Para se ter uma ideia do alto teor tóxico do ácido oxálico basta dizer que ele remove ferrugem e manchas em materiais metálicos. Por exemplo, o ruibarbo cozido em panelas de alumínio deixa-as mais limpas, porque o ácido oxálico dissolve o metal oxidado que fica incrustrado na superfície do recipiente, sendo também usado para polir metais e tingir tecidos.
 
Outro resultado adverso da presença do ácido oxálico em nosso organismo é que ele atua como um antinutriente, reagindo com os íons ferro e cálcio. No caso do cálcio é mais perigoso, pois se forma o oxalato de cálcio mono-hidratado, que é um sal de baixa solubilidade e seus cristais crescem nos rins na forma de pedras, conhecidos como cálculos renais. 
 
Todos os alimentos ricos em ácido oxálico devem ser consumidos com moderação, evitando excessos e consumo constante, principalmente por pessoas que tem problemas renais.
 
  • Vegetais ricos em ácido oxálico: espinafre, batata doce, aipo, couve de bruxelas, berinjela, cebolinha, brócolis, beterraba, cenoura, pimenta verde, berinjela, alface e aipo.
  • Bebidas ricas em ácido oxálico: cerveja, chope, a maioria dos tipos de chá, café instantâneo, refrigerantes a base de cola e  todas as bebidas com base de chocolate.
  • Frutas ricas em ácido oxálico: figo, amora, framboesa, morango, uva, ameixa e tangerina e cítricos em geral. As frutas mais azedas possuem um alto teor de ácido oxálico. 
  • Grãos com níveis elevados de ácido oxálico: amaranto, quinoa, gérmen de trigo, soja, aveia e farinha de trigo integral.
  • Sementes e vagens: cacau, nozes, amendoim, semente de girassol, semente de caju, amêndoas, castanhas, feijão preto, grãos e lentilhas.
  • Especiarias: pimenta, canela, gengibre e molho de soja.




2 comentários:

Maria José Rezende de Lacerda disse...

Olá amiga. Eu amo espinafre. Bjs.

Lucia de Belo Horizonte / MG disse...

Olá Maria José: Então somos duas que adoram espinafre. Só temos de ter cuidado para ingerir junto com outras iguarias. Bjs.